Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








agosto 27, 2009

Miopia financeira


27/08/09

Sônia Araripe

Outro dia, Grazi postou aqui sobre deslizes na área médica na novela Caras&Bocas (role para baixo que não está longe).
Pois apesar de eu já ter dito que não assisto mais Caminho das Índias (Are, baba, risos), Tia Ziloca, aposentada de Copacabana, como outros milhões de pessoas na melhor idade, ligou para se queixar.
"Num pode!", reclamou. "Esta novela está completamente fora da realidade", alertou.
Tentei acalmá-la. Expliquei que é ficção, distração, folhetim. Num teve jeito. Tia quis porque quis registrar sua queixa.
A bronca toda é porque a madalena arrependida da lindinha da Maitê Proença (linda, num é, gente?) traiu o Ricardão, digo, maridão. E aí, me contou Tia Ziloca, o amante gravou tudo e chantageou o marido exigindo R$ 500 mil.
Isso, 500 mil reais.
Detalhe que faz toda diferença, me relatou ela: meio a meio, half/half com a comparsa, a tal Yvone, a também lindinha Letícia Sabatella.

Aí, a titia ficou uma arara! Olhem que ela é professora aposentada, viúva com uma pensão de INSS, mas lê jornal, assiste todos os dias o Jornal Nacional e sabe muito bem o valor do dinheiro. Sabe todas as falcatruas recentes, na política, na economia, antenadíssima.
"Num dá! Bastava o tal Haroldo vender o carrão que já faria uma tremenda grana", sugeriu.
Sem dúvida. O carrão importado (tive que ver) deve valer uns R$ 100 mil no mínimo.
Ele até vendeu, mas num deu quase nada..E o fulano traído foi pedir pedir um empréstimo para o bonitão do Vitor Fasano, alto executivo da mesma firma Cadore e ele levou um susto como se fosse um garoto no seu primeiro emprego e salário de réis...disse que não tinha tanto dinheiro.
Sem saída, Haroldo - um bem sucedido executivo - recorreu ao banco e levantou só R$ 200 mil!!

Tia Ziloca diz que deve ser um problema de timing, com a Glória Perez ainda pensando na crise da bolsa de valores - e titia sabe, porque tem ações do BB que a bolsa está se recuperando - ou falta mesmo de assessoria para a autora.
E, por último, lembrou titia, que vigarista internacional aceitaria reais e não dólares?? Ou euros que estão mais valorizados?
"Se ainda fossem 5 milhões de dólares ou 1 milhão de euros, o que fosse. Mas 500 mil reais é pouco até na nossa conversinha light aqui na biriba da Serzedelo Corrêa", se queixou. "Só faltou ele aceitar tíquete refeição", conclui. E Tia Ziloca confessou que vai até o fim da novela - em breve - só de raiva. Já sabe que os mistérios - vários - serão desvendados só nos capítulos finais. Suspendeu os cursos na Bolsa de Valores, as matinês do teatro e as idas às biribas com as amigas prá ver como será.

É tia.... por estas e outras prefiro ler um livro ou fazer Sudoku. Como é? Você num sabe o que é Sudoku ou já ouviu falar mas num se apaixonou ainda? Cai na real! Relaxa mais do que assistir novela que confunde real com dólar ou mil com milhão.

6 comentários:

Mônica Angeleas disse...

Menina, sabe que eu e meu filho, novelista assumido, achamos q tínhamos entendido errado o valor da chantagem. Nossa reação foi igual a da Tia Ziloca. Não é possível ser em real e o marido num ter. Como dizia Busunda: Fala sério!!!

Anita disse...

Vi tres capitulos dessa novela quando estive no Brasil. Cenarios, figurinos de encher os olhos. Mas acaba ai. O resto e' samba do crioulo doido !

Mariangela disse...

Tiz Ziloca, OBRIGADA! Tava louca para postar sobre isso mas achei que iriam me achar muito ridícula. Afinal, é tão surreal a abordagem do valor que me achei que devia ter algo a mais que eu, num momento de muita burrice, não havia captado na trama.

E outra, sem contar que com o apt que ele tem e outras cositas mas, qualquer banco levanta prá ele um empréstimo na hora.

Mas vou continuar esse desabafo...e onde o cara vai com R$250.000 curtir a vida mundo a fora?

Agora vem o outro (Raul) que recupera 10 milhões e tudo bem. Na boa, com essa grana eu e a Mônica iríamos rodar mundo, mas para quem ficava num hotel de $7.000 dólares a diária (isso é real heim minha gente) e rodava de Audi último tipo com motorista e gastava $10.000 por dia em compras, como é que a grana do cara não acabava?

É assim, no Caminho das Indias tem Radesh...e com Radesh não tem problema. Radesh resolve tudo! kkkkkkkkkkkkk

Vamo que vamo ver o final, que parece ser o seguinte: da casta das noras de Opash, só se salva a firanga estrangeira. Viva o Rio!

Grazi Aronovich disse...

É realmente o ÓH!! certos deslizes dos que escrevem. e a questão da Ivone viajar com uma mala cheia de dólares e jóias????ela não passaria em nenhuma alfandega sem ser presa!!!!só rindo...Tia Ziloca continue firme ai nas criticas!

Maria Lúcia Poyares disse...

Soninha, você e a tia Ziloca, racionalmente, estão cobertas de razão, mas eu, Maria Lúcia,cuja idade só me permite sonhar estou viajando com a novela e me divertindo com os desacertos.
Em alguns momentos entrar no "irreal" ajuda; observe como a secretária do Ramiro apaixonada pelo patrão é feliz e na vida real isso é comum, acontece. O equilibrio do ser humanoo é esse diferencial, observe. Beijinhos

Mariangela disse...

êta Lúcia, é mesmo. E vc sempre dando bons conselhos.
Ai Jesus me abana! bjs