Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








Sean Goldman

A mídia assola o país novamente com notícias sobre Sean Goldman, o garoto de pai americano e mãe brasileira que agora vive nos Estados Unidos com o pai, após uma ação judicial que se arrastou por alguns anos.
Apareceu no Fantástico e está em vários jornais que a avó esteve agora nos Estados Unidos e não conseguiu ver o neto - isso tudo noticiado de uma forma dramática.

Sean veio para o Brasil com a mãe que não retornou mais pois decidiu se separar. Após falecer, a família materna do garoto decidiu que ele ficaria por aqui. Entrou com uma ação de pedido de guarda permanente. A avó declarou: "Os direitos humanos desta criança mais uma vez não estão sendo respeitados. Há 33 dias que não falo com ele."

Ora D. Silvana, os direitos humanos desta criança já foram desrespeitados por vocês anteriormente e feio.

Não é porque os avós são brasileiros que vou ficar em definitivo ao lado deles.
Os avós maternos erraram e muito. Reclamam hoje mas se esquecem de que privaram esse pai de falar, ver e visitar o menino por anos a fio. Lembram? Se achavam no direito de ter o garoto a qualquer custo pois assim o decidiram, numa demostração de desrespeito total àquele que por direito teria a guarda do filho. Então essa medida de agora não seria uma atitude do pai em defesa e proteção de sua relação pai-filho que demorou tanto a conseguir? Ele já declarou que se a família materna de Sean retirar o processo que move para ter o garoto de volta, ele abre as visitas normalmente.

David Goldman me parece ser um pai amoroso, dedicado e presente. A luta que travou para ter o filho impressiona e em suas entrevistas é notório o seu carinho e vontade de pai em criar seu filho.

Sofre mais Sean que poderia desfrutar de seu pai e visitar seus avós e o país natal de sua mãe sempre que possível. Mas do jeito que a coisa vai, parece que não vai ser assim.

Acho que os avós deveriam repensar o que estão fazendo retirando a ação. Porque David Goldman não pode criar seu próprio filho se assim o quer sendo que não há nada que o desabone de fazê-lo?
O que acham?

9 comentários:

Anita disse...

Nao concordo com voce. Nao e' a toa que a mae do Sean se separou do marido. Ele nao tinha profissao definida, fazia bicos como modelo, nao dava a menor bola pra ela. Ela se arrependeu rapidinho depois que se casou. Os avos maternos sabiam que podiam dar uma perspectiva melhor pro Sean, em termos afetivos e seguranca financeira. Infelizmente nao ha prova de qualidade pra ser pai ou mae. Qualquer um que for fertil pode fazer filho...

Mônica Angeleas disse...

Mari esse assunto é muito delicado e tb é uma história muito triste.
Não se trata de julgamento, mas acho que a criança foi desrespeitada no seu direito! Desde qdo a mãe dele veio e não voltou mais para os Estados Unidos. E sobre a polêmica em torno de quem tinha o direito de ficar com ele, eu acho que a justiça foi feita e o pai ganhou a guarda. Fico imaginando essa criança com a dor da perda da mãe. E imagina depois de adulto conviver ainda com a o abandono do pai. Ainda bem que o pai lutou por ele. E estou com vc, a avó esta extrapolando!

Maria Lúcia Poyares disse...

Mari, concordo com vc. porque a mãe do Sean era uma pessoa esclarecida e escolheu um pai para seu filho.Não está em julgamento, a meu ver, condições financeiras dos avós e sim a criança crescer ao lado do pai desde que o mesmo assim o queira e nada fique comprovado que o desabone.
A mãe infelizmente faleceu e, para mim,quem melhor do que o pai verdadeiro para dar amor a essa criança?

Therezinha de Jesus disse...

Este pai está novamente sendo privado do direito de ser pai e criar seu filho, comportamento de pai que parece desconhecido no Brasil. A falecida mãe, me parece, quando viu que o glamour de Milão havia acabado, e que ela teria uma "vidinha medíocre de mãe e dona de casa em Nova Jersey" decidiu de forma "traiçoeira" voltar para o Brasil trazendo o filho escondido do pai. O erro começou com ela, que se tivesse tido a coragem de pedir o divórcio lá e lutar pela guarda lá, hoje, talvez, o menino estivesse aqui recebendo eventuais visitas do pai. Não, preferiu "dar o jeito dela", e deu no que deu.
E se David Goldman fosse tão rico e infuente ou mais que a família brasileira, será que tudo isto estaria aconteceno? Este pai foi privado de seu fiho por 4 anos, tempo que ele tenta agora desesperadamente recuperar. E a netinha brasileira, como está? Pelo visto esquecida nas mãos de babás. Deixem David ser pai de seu filho!

Lilaz disse...

Ser modelo não desclassifica ninguém como pai Anita. Se o caso dele fosse só de colocar esperma, não lutaria tanto para ter o filho ao lado. Em relação afetividade e segurança financeira, como se mede isso? O pai mora bem, guardou todos os pertences do filho com carinho, tem uma condição e cultura boa, e afetivamente já demonstrou estar presente.
Qualquer um que for fertil pode fazer filho, mas não é qualquer homem que batalha assim por um filho!
Pai e filho devem ficar juntos sim.
E a avó parece agora, depois de fazer o que a filha fez (desconsiderou o pai) estar sofrendo as consequências de sua própria atitude.

Mariangela Buchala disse...

Nenhum de nós sabe a fundo o que se passa internamente...mas que esse pai não parece ser negligente não parece mesmo. Que Sean possa crescer e ser feliz!

Maria Célia disse...

Concordo com você.

A avó está atrapalhando cada vexz mais a cabecinha do menino com suas atitudes de dominadora.
Nem parece amar o menino e continua seu joguinho, achando , como os Nardoni, que resolvem tudo com isso.
JUSTIÇA EXISTE.
Se ela tivesse feito tudo com a cabeça no lugar não estariam passando por isso.
ele não está se vingando...é a famosa Lei do Retorno que as pessoas fazem questão de ignorar.

zenaide disse...

todo mundo tem uma historia diferente e cada caso e um caso!comigo como foi que um criminoso canadiano conseguiu adoptar a minha filha ja com 11 anos na altura?e para que fim?o tipo e traficante de seres humanos e la no Canada todos queriam que eu raptasse a minha propria filha para depois me acusarem de criminosa1so tive de apelar apra a convencao de Haia e mais nada depois foi ve-los a s eles canadianos corruptos a perderem!a proposito o canadiano queria uma crianca brasileira , nao encontrou escolheu a minha filha por ser mestica e ter o mesmo tipo, eu sou angolana ee o pai tambem!o norte da america nao presta para as criancas hoje em dia1sei do que falo!mas oxala o Sean esteja feliz pois as criancas veem primeiro!

Andrea Oliveira disse...

A verdade é que ele é pai e esta criança foi arrancada dele, sem autorização. Ponha-se no lugar dele por um minuto. Sempre defendi e defendo que a mãe é quem tem que ficar com a guarda. Mas neste caso, eu acho que os avós deveriam ter entrado em contato com este pai, deveria ter ido visitá-lo e ter deixado bem claro as melhores intenções de laços familiares. Se a esposa falecida não queria mais ficar com ele, tudo bem, mas pelo menos deixado ele visitar o filho, o qual pelo que temos conhecimento, nunca foi lhe permitido ver a criança. Inclusive saiu nas reportagens da época que o pai, David, enviou presentes para Sean aqui no Brasil, mas os familiares brasileiros recusaram o presente da Receita Federal. Então, neste caso eu sou a favor do pai David, na época eu fiquei triste pois a família brasileira estava acostumada com o menino. Mas devemos nos lembrar o quanto este pai sofreu por cinco anos, sem poder ver o seu próprio filho e, ao que parece, o menino está muito bem e feliz com ele. Volto a dizer: se a família brasileira tivesse entrado em contato com o pai, demonstrando uma bela relação familiar, ninguém estaria sofrendo agora, muito menos o menino Sean Goldman, que agora já está um mocinho!

Andrea - SBC