Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








Lançamento de curta: Se meu pai fosse pedra, de Maria Camargo


Quem nos enviou este convite foi nossa querida Aspásia Camargo. A filha dela, Maria Camargo, está lançando um curta, "Se meu pai fosse pedra", sobre Sérgio Camargo, o pai, que morreu há exatos 20 anos.

Hoje (12 de abril), 17h, no Unibanco Arteplex.

Amanhã (13 de abril), 14h, no Instituto Moreira Salles.

Imperdível.

2 comentários:

Mônica Angeleas disse...

Que legal!! Eu conheço a Maria, um dos 4 filhos dela é da escola Parque, da mesma série do meu filho. A Maria é redatora das boas!!

Paula Castro disse...

Parabéns Maria.Conseguiu com sensilibilidade e de uma forma leve tratar um tema complexo como a morte, unir o lado racional do seu pai e o lado humano,as retas e as curvas, seu estilo pessoal e simples de ver o mundo, o desprezo ao luxo,a delicadeza e boa vontadde de explicar, falar sobre arte,apesar da impaciência com a burrice das pessoas -SEBO! A primeira exposiçao que fui na minha vida foi com ele, aos 10 anos, do Oiticica!.Me lembro da emoção lá em casa quando recebemos o telefonema de Paris (na época era difícil falar no telefone) contanto que havia recebido o Primeiro lugar na Bienal de Paris, isto com trinta e tres anos... depois vieram os muitos prêmios!E como nos ensinou a olhar e perceber a qualidade dos novos artistas (na época não entendi as cabeleiras do Tunga penduradas pela casa)..
Beijo e parabéns
Paula