Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








março 19, 2009

Tolerancia

Pessoas, a pedido da Ana Cecilia Vidaurre (vulga "Ceci") vou falar um pouco de algumas coisas sobre os contrastes entre o estilo de vida nas aldeias e nas cidades grandes da Holanda.

So uma estorinha para ilustrar.
Eu moro a 25 min. de onibus de Amsterdam e a 15 min. de carro de Schiphol, num povoado de menos de 10 mil almas. Nem um pouco atrasado, diga-se de passagem. Bom, digamos que tudo seja relativo. Nao e' um povoado rural. Bem... ha alguns carneiros nos quintais de algumas casas e algumas pessoas andam de cavalo pelas ruas mas digamos que seja uma village quase cosmopolita. Voce pode saber das ultimas novidades quentes atraves de uma visita ao padeiro local. Ou pode tambem nao se importar com nada e ir comprar uma viagem pra Timbuktu indo a super moderna agencia de turismo que funciona no mega supermercado local. E' uma village que sabe reunir as delicias de uma cidade do interior (pouco transito, tudo pode ser feito a pe, ar puro, intensa arborizacao) com o conforto proporcionado pela tecnologia moderna.

Eu faco Yoga. Dru Yoga. Consiste nao somente na pratica das asanas (posicoes) mas tambem cantar alguns mantras. A professora tem um chale no quintal da sua casa onde da as aulas. Ela e' clarinetista formada em conservatorio, e por isso aprendeu diversos instrumentos indianos. Uma vez a cada dois meses ela organiza uma "noite de mantras" ou um "domingo de cantos". Ficamos por tres horas so meditando, ela tocando diversos "bowls" de cobre tibetanos com diversos martelinhos. Ressonancia, ressonancia. Depois da uns papeizinhos com frases que ficamos repetindo "ad infinitum". E tambem repetindo Ohm. Ohmmmm ! Ohmmm ! Dezenas, centenas de vezes ! Puxa, bom demais ! Eu e mais duas septuagenarias, uma lesbica e um colega gay.

Pois nao e' que uma conhecida da minha sogra, gente assim como a gente nos seus 30-40 e poucos anos, foi avisa-la de que eu estava sob influencia de uma pessoa muito irregular, suspeitosa, quase uma seita, gemendo coisas sem sentido durante horas. Abdicando de contato com a familia a cada dois meses pra ir gemer em chale. E outra comentou que eu ia as vezes a festas de aniversario sem meu marido, se nos nao estariamos divorciando.... (claro que sozinha ne ? baby sitter custa caro e eu sou proleta !).

O povo holandes e' tolerante e nao perde tempo com fofoquinhas. Mas eu propria ja ouvi tambem muitos venenos em pracas e festas da minha village. Um verdadeiro horrore de maledicencia. Feito por pessoas que trabalham em companhias internacionais durante o dia, falam tres ou quatro linguas, ja foram a Tokyo e Niuiorqueciri maaas (ha sempre um "mas") ... As seis da tarde querem comer seu pure de batata com repolho fermentado e salsicha, colocar as pantufas e saber das fofocas das celebs na TV - ou dos vizinhos e parentes. Igualzinho como fazemos no interior do Brasil, na Turquia ou no Casaquistao - digo "igualzinho" descontando o repolho azedo, claro !

Para conhecer bem o mundo todo basta conhecer bem as pessoas da sua propria aldeia.

Um comentário:

Ana Cecília Vidaurre disse...

hahahaha
adorei a última parte,
fofocas e babados existem em qq lugar do planeta!!!!
bjos