Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








Educação se faz com atitude e não complacência...perigo, perigo, perigo!


O desfecho do caso da estudante Geisy Arruda de 20 anos, primeiro ano de Turismo, que usou mini saia na Uniban, foi a expulsão. O conteúdo do comunicado da universidade conservadora contemporânea (que seria isso?) começa com o título "A educação se faz com atitude e não complacência". Segundo o dicionário da Uniban, atitude é o que a universidade adota quando expulsa uma estudante agredida e complacência é quando livra a cara de centenas de alunos que a agrediram.
Eu estou perdida. Peço ajuda a minhas colegas inteirativas e aos nossos leitores para me ajudar a entender a conclusão da universidade de que "houve
flagrante desrespeito aos princípios éticos, à dignidade acadêmica e à moralidade" por parte da aluna, justificando assim sua expulsão. A única coisa boa que vi até agora sobre esse evento foi a UNE se levantar e sair de seu comprometimento lulistico e organizar um protesto contra a Uniban.

14 comentários:

Anônimo disse...

Perigoso mesmo porque foram 700 alunos dentre 1000 no total.

Anita disse...

A expulsao foi revogada. Que imbroglio da UNIBAN !

Anônimo disse...

quem se deu bem mesmo foi a menina, que vai ser capa da sexy em janeiro....

Grazi Aronovich disse...

acho que o Brasil precisa atentar para um novo tipo de crime que começa a despontar por aqui: crimes de ódio contra diferentes. estes crimes são tipicos de sociedades como as americanas, finlandezas, onde a repressão é grande. agora ,importar este tipo de atitude é um alerta!afinal, nesta história a vitima passou a ser vilã e voltamos aos tempos de repressão a mulher desbragadamente!é bom que as autoridades de direitos humanos, o MEC e o ministerio da justiça penalizem esta universidade e os envolvidos na agressão, senão, estaremos abrindo um precedente seríssimo a favor destes crimes.que vergonha!

Maria Lúcia Poyares disse...

Maria,
amei o seu "comprometimento lulistico", ótima expressão.
Considero a expulsão um exagero mas acho que a aluna também deveria ser mais discreta ou adequada nos trajes.
Ela ia estudar ou a uma festa?

Valeria Ferrari disse...

Nos leva a refletir sobre a "culpa" das mulheres que são estupradas e a sociedade justifica que elas usavam roupas inadequadas....

Essa mesma sociedade também "desculpa" os maridos que espancam suas mulheres porque elas também usam roupas inadequadas....

Não é de admirar que essa mesma sociedade provoque tamanho "constrangimento" em aluna porque ela usava roupas inadequadas.

Amadas inteirativas essa sociedade é formada por gente como a gente, isso me faz refletir que tipo de ação ou omissão pratico que alimenta essa mesma sociedade que pratica esses abusos ou tolera esse comportamento agressivo no outro.
Tomara que ela ganhe muito dinheiro da faculdade...kkkkkkkk
Bjs.

Anônimo disse...

As pessoas tinham que cuidar das próprias vidas e não se meterem mais nas vidas dos outros. Se a garota é ordinária por causa do cabelo platinado, unhas grandes e um suéter comprido que ela usa como minivestido... problema dela, que se dane ! Esses alunos são todos pervertidos.

Mariangela Buchala disse...

o buraco da Uniban é mais embaixo...descubro q os alunos formados em direito e aprovados pela OAB não podem se registrar pois o curso não é reconhecido pelo MEC. Hã?????????? Eu disse MEC? Não é o Ministério da Educação e Cultura responsável por validar as faculdades? $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
Duvidam? Vide internet.

Anônimo disse...

Me parece que o problema nao era somente a roupa e sim a conduta da moça (corria pelos corredores que ela era prostituta) que para os alunos 'queimava o filme' da faculdade. Ela foi discriminada e banida por nao se adequar aos codigos do grupo em que estava inserida. Esses alunos deviam se preoucupar com a capacidade zero dessa faculdade em aceitar as diferenças e gerenciar crises, isso sim queima filme! Thati

Anita disse...

Se correr o bicho pega se ficar o bicho come. Ora, entao se ela e' ou era garota de programa entao nao pode querer estudar e ter um diploma ? O dinheiro pago por ela tem menos valor ? Se vestir de maneira chamativa ou ordinaria e' tudo muito relativo. Na escola dos meus filhos eu vejo maes de mini saia ate no inverno, fico boba. De casacao preto, minisaia, meia calca e bota de cano alto, e mascara nos cilios. Isso as 8 da matina. Nao rebolam porque nao sao popozudas, fazer o que ?

Anônimo disse...

Povo do Brasil, tantas opiniões diversificadas e a garota, coitadinha, quer mesmo é posar NUA na Playboy e vai conseguir. PALMAS!!!

Mariangela Buchala disse...

O tiro saiu pela Culatra! já pensou as meninas da Uniban agora qdo seus namorados comprarem a Playboy?

Anônimo disse...

A Uniban deveria se chamar UNIPIRA: a universidade dos caipiras. Numa faculdade do Rio essa garota seria solenemente ignorada.

Lilaz disse...

A moça está fazendo sucesso mesmo. Mas acho que seria em qualquer lugar.