Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








fevereiro 28, 2009

Ilha de Paqueta



Durante o carnaval tive a idéia de passar o dia em Paquetá.

Já na Praça XV, levei um susto com a quantidade de gente na estação e como é o tratamento dado aos passageiros.

Não existe local reservados para crianças, gestantes e idosos. A barca ainda não tinha nem saído e os ambulantes vendiam de tudo. Picolé, cerveja, água biscoito, sandálias etc.

Com 10 minutos de viagem, o chão estava imundo, com latas pelo chão, papel, água do gelo escorrendo, uma imundice!!!

O que a Agencia Reguladora faz e também a Prefeitura?

A ilha está decadente. É um descaso com os moradores e com os visitantes.


Samba, esta inesgotável fonte de prazer e alegria

Sambar, sambar, sambar...é muito bom sambar!

Por mim sambava toda semana, todo dia, sem reclamar.

Fico vendo a alegria que as pessoas ficam num carnaval e sempre que vem ao Rio e as levo ao samba. E me delicio com este fenômeno. Algo tão simples, barato, acessível, democrático.

Todas as tribos e cores se juntam no samba. Não importa se é rico ou pobre, sambar se samba unido. Tem que cantar, rebolar, suar, e dai todos são iguais. Claro que as diferenças são na arte de tocar o instrumento na roda de samba e soltar o corpo compassado na pista. Mas vale tudo na tentativa de absorver este presente que a Bahia deu ao Brasil e que os cariocas diversificaram tanto.

Sim, porque samba carioca é único em tudo.

Desde o encantamento da batida perfeita, passando pelo gingado dos passistas, até chegar a beleza negra do ballet de braços no desenvolver do ritmo.

E isto não é nenhum tipo de diferenciação, só um reconhecimento: o samba tá na alma negra, e nós brasileiros mais "branquelas", nos esfalfamos para apreender a sambar e a tocar, enquanto para a irmandade previlegiada, flui naturalmente..

O samba é o Brasil mais real e perfeito, onde todos tem acesso e todos tem o mesmo espaço para usufruir e criar.

Onde simplesmente estamos juntos a bailar e nos misturar, sem querer saber de onde, pra onde e todas estas perguntas pífias que só fazem é nos estratificar.

Viva o samba, a mistura, a igualdade, a alegria e o direito de todos a ocupar o espaço social generosamente.

fevereiro 25, 2009

Vitória da(s) comunidade(s)


Sônia Araripe

Na ausência da minha querida Mangueira - prejudicada pela crise financeira, salva ainda por um honroso sexto lugar - e diante da triste colocação do histórico Império Serrano - infelizmente sendo rebaixado - aplaudimos a vitória do Salgueiro.

Que nos perdoem os amantes da Beija Flor de Nilópolis, mas já estava virando monopólio....E o Salgueiro estava há anos sem a vitória, batendo na trave no ano passado.

Vitória da comunidade, das comunidades ali da Tijuca, do Borel, do Salgueiro, dos Macacos e de tooooooda a nação tijucana.

Quem conhece e frequenta a quadra do Salgueiro sabe como a comunidade vibra, canta e acompanha a escola.

Um enredo aparentemente simples - tambor - arrebentou na Avenida! Com a bateria Furiosa (tendo como madrinha a Viviane Araújo aí na foto) e o povo todo aplaudindo.

Teve buracos, alguns probleminhas mesmo. Mas Renato Lage brilhou, encantou.

Como nasci na área, sinto-me, de alguma forma, honrada.

Salgueiro, Salgueiro!

Para quem não acompanhou, veja o samba lindo da escola vermelho e branca. Para ouvir basta clicar aqui e procurar lá em cima, do lado direito, a escola Salgueiro:

SALGUEIRO

“Tambor”


Autores: Moisés Santiago, Paulo Shell, Leandro Costa e Tatiana Leite
Intérprete: Quinho


O som do meu tambor ecoa, ecoa pelo ar!
E faz o meu coração com emoção pulsar!
Invade a alma, alucina
É vida, força e vibração!
Vai meu Salgueiro... Salgueiro
Esquenta o couro da paixão!
Ressoou da natureza, primitiva comunicação!
Da África, dos nossos ancestrais
Dos deuses, nos toques rituais
Nas civilizações cultura
Arte, mito, crença e cura!

Tem batuque, tem magia, tem axé!
O poder que contagia quem tem fé!
Na ginga do corpo, emana alegria
Desperta toda energia

No folclore a herança
No canto, na dança, é festa, é popular
Seu ritmo encanta, envolve, levanta...
E o povo quer dançar!
É de lata, é da comunidade,
Batidas que fascinam
Esperança social, transforma, ensina
Ao mundo deu um toque especial(é show)
É show, é samba, é carnaval!

Vem no tambor da Academia
Que a furiosa bateria vai te arrepiar
Repique, tamborim, surdo, caixa e pandeiro,
Salve! O Mestre do Salgueiro!

fevereiro 24, 2009

Me beija que sou cineasta

Amanhã, quarta feira de cinzas é o dia do meu querido bloco "Me beija que sou cineasta".
Como parte desta comunidade alegre e aberta, convido a todos para encerrar a folia ali no Baixo Gávea-na praça Santos Dumont- a partir das 11hs, quando começa a concentração.E também, queria celebrar este carnaval que foi delicioso pelos blocos desta cidade linda que é o Rio de Janeiro.
Este ano, mais que nos outros, os blocos foram multiplos e cheios de novidades deliciosas.
Destaco aqui o Sapucapeto-de Leandro Sapucahy e Isabela Capeto.
Tanto os ensaios como a saida do bloco dia 20, foram de uma qualidade incrível, som impecável e gente linda.
Viva a diversidade do samba e a possibilidade cidadã de ocupar as ruas da cidade no carnaval com alegria, leveza e celebração da vida.

fevereiro 19, 2009

Pessoal de Brasilia e redondezas,

Meu sobrinho Victor Angeleas (bandolim) e Márcio Silva (piano) se apresentarão a partir de março no Café Antiquário – Pontão do Lago Sul as quartas-feiras 21h00min.
Assim que a data de início for confirmada eu aviso.
Enquanto isso assistam o vídeo deles e curtam o som, que é ótimo.

fevereiro 18, 2009

AMANHÃ É O DESFILE DA BANDA DA RUA DO MERCADO

Amigos e companheiros: amanhã desfila a Banda da Rua do Mercado!!!
Nosso amigo Carlos Alberto Azevedo, jornalista dos bons, carnavalesco de primeira, é quem manda o aviso geral.O desfile será em homenagem ao grande Haroldo Costa e a concentração começa na frente do prédio em frente à Bolsa de Valores do Rio, às 17h.

fevereiro 17, 2009

Sônia Araripe –da Revista Plurale - visitou a comunidade São Francisco do Caribi, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã


FONTE: Fundação Amazonas Sustentável - FAS

Por Marina Guedes


Uma comitiva formada pela Coca Cola Brasil e pelas repórteres Célia Rosemblum – do jornal Valor Econômico – e Sônia Araripe –da Revista Plurale - visitou a comunidade São Francisco do Caribi, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, sábado, dia 8 de fevereiro. Na região, conheceram algumas das benfeitorias que estão sendo implementadas pelo Programa Bolsa Floresta, como a escola que contemplará o Ensino Médio e a Associação de Moradores da Reserva. A jornalista Juliana Leite, representando o Núcleo Coca-Cola de comunicação, e Maurício Veiga, da comunicação externa do Grupo Simões, fizeram parte da equipe que teve como orientador Carlos Gabriel Koury, coordenador do Programa de Unidades de Conservação do Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas).



Célia Rosemblum (blusa rosa), Sônia Araripe (bege), Juliana Leite (azul), Maurício Veiga ea comunitária Denise Krull passeiam pela RDS do Uatumã (Crédito: Antonio Lima)


Abaixo, depoimento da jornalista Sônia Araripe.

“Não foi a primeira vez que estive na Floresta Amazônica. Como jornalista com passagens por diferentes redações - JB, Estadão, O Dia, Jornal do Commércio, Revista Forbes Brasil, entre outras – já tive outros “contatos imediatos” com a região. Belíssima, deslumbrante, rica e maravilhosa. Mas também cobiçadíssima. De qualquer forma, é sempre como se fosse a primeira vez. Nesta comitiva estive em área que não conhecia, convite feito e aceito pela FAS. Sobrevoando a floresta, saindo de Manaus podemos perceber ainda algumas interferências do homem no bioma. Avançando para o interior, dá gosto ver um grande tapete verde, quase mata intocada. Lindo! A atenta – e divertida - colega de viagem, Célia Rosemblum, editora do jornal Valor Econômico, exclamou: 'parece um brócolis'! Sem dúvida, um grande brócolis. Fomos de hidroavião para a comunidade de São Francisco do Caribi, na Reserva do Uatumã. Todos nos esperando. Emoção à flor da pele. Personagens riquíssimos para relatar a verdadeira revolução em curso por ali. Os detalhes do que vimos e percebemos serão narrados na próxima edição de Plurale, número 11, que deve sair em breve, até abril. Nos aguardem. Se tem algo que gostamos de fazer em Plurale é contar boas histórias. E esta, da parceria do setor público com o privado fazendo diferença, preservando mata e a comunidade, é algo que nos dá gosto de ver e relatar".

Integra da materia: http://www.fas-amazonas.org/pt/index.cfm?fuseaction=noticia&id=73

fevereiro 16, 2009

PARA OS CARNAVALESCOS - A LETRA TÁ ÓTIMA

Pra quem vai ficar em BSB

Amigos e amigas, aí vai a marchinha do Pacotão 2009. Agora é só esperar o Carnaval.

Perereca de bigode
Autor e interpréte (UI!!) Joka Pavaroti

Estão maquiando a Dilma
Pra enganar o povão
O Lula gritou Eureca!
Quem comeu Sapo
Engole Perereca!

Eu acho que vai dar bode
Dilma não tem barba
Mais pode ter bigode!

Eureca! Eureca!
Quem comeu sapo
Engole Perereca! (BIS)

fevereiro 14, 2009

Atenção netos, os avós são um grande barato!


Sou a nona filha e como tal sinto muita falta de ter uma avózinha ou avozinho viva. Convivi um tempo com minhas avós, pois quando nasci meus dois avôs já tinham falecido.

Vó é um grande barato! A mãe da mami sempre foi deliciosa, pervertora das ordens paternas, livre, artista, deixava os netos queridos fazerem tudo!

Já a mãe do papis era dificil, repressora, religiosa, cheia de valores retrógrados..não deixou boas lembranças, pelo menos para esta neta aqui.

Mas, mesmo assim, sinto falta de ter uma avó ou um avô por perto. E reparo como hoje em dia, os adultos pouco convivem com suas avós e avôs e pouco aproveitam deste grande barato que é a troca intensa e tão rica deste relacionamento.

Observo isso em minha familia, onde em tantos netos, poucos é que tem uma regularidade de convivio com os avôs. E penso em como eles são felizes e não aproveitam.

Por isso vos digo netos deste mundão, parem e pensem em como é gostoso sentar e ouvir experiências de outras épocas, rir, sentar no colo, deitar a cabeça no ombro, fazer um carinho, trocar amor com estas pessoas maiores, que tem tanto a nos dar e a receber de nós.

A vida corrida que todos temos e que nos dá tanto estresse e que nos envolve no egoismo para sobreviver, tem espaços vazios onde um avô ou avó fazem toda diferença. Desta maneira, estaremos também nos preparando pra viver a nossa maioridade de uma maneira mais plena com nossos futuros netos. O exemplo sai de nós para os que nos rodeiam e para os que vem a partir de nós.

Usufruam desta dádiva que é ter uma avó ou avô por perto, é tão delicioso como ir ao cinema, ao teatro ou ler um belo livro. Só que com a vantagem de estar interagindo com os personagens que são parte de nossa história afetiva.

Enciplexo

Poema de Bárbara Hansen

sexo
em ângulo
convexo
preâmbulo
complexo
reflexo
o pêndulo
no óvulo
convexo
eu, trêmulo
perplexo
ridículo
sem nexo
crepúsculo
já baixo
— copulo
a deixo
ósculo
ulo
luxo

Contratempo: uma boa intenção

Isabel Capaverde, Plurale em site
Foto/Divulgação

O grande chamariz de Contratempo, documentário que ano passado participou da Première Brasil do Festival do Rio e da 32ª Mostra de Cinema de São Paulo é a sua diretora estreante, Malu Mader. A mesma que o Brasil conhece como atriz de novelas, séries, minisséries e filmes. Em parceria com Mini Kerti, co-diretora e sócia da Conspiração Filmes, Malu registrou a trajetória de um grupo de jovens de comunidades carentes que participam de projetos de música como forma de inclusão. Na realidade sobre o Projeto Villa-Lobinhos que congrega jovens vindos de outros projetos como o Aprendiz – Música na Escola, Osquestra Pró-Arte e Espaço Cultural da Grota – Osquestra da Grota, todos no Rio de Janeiro.
A escolha do tema do documentário não foi aleatória. Malu é madrinha do Projeto Villa-Lobinhos. Dessa proximidade surgiu a idéia inicial de fazer um curta que evoluiu para um documentário. Foram 120 horas de gravações que obviamente precisaram ser enxutas em 91 minutos. A narrativa utilizada é a usual do gênero. Malu não arriscou na estréia. Os personagens escolhidos são acompanhados no dia a dia, entremeando cenas de ensaio e aulas no Villa-Lobinhos com seus depoimentos e vidas nas comunidades. As diretoras intervém pouco, surgindo em off ao fazer perguntas. O público irá reconhecer a voz de Malu. Não há depoimentos de professores, maestros, diretores e somente dois dos pais surgem na tela.
O documentário é honesto em não cair na armadilha do final feliz. Nem todo o jovem tem talento, nem todos seguem carreira, nem todos fazem sucesso e nem todos conseguem sobreviver nas comunidades em que moram. Mas todos merecem a oportunidade de tentar algo diferente através da música. Há histórias tristes e outras não. O episódio em que os estilosos gêmeos Wagner e Walter da comunidade da Grota do Surucucu, em Niterói, foram convidados a tocar em Nova Iorque rende cenas muito bem-humoradas. Também diverte o momento de glória da banda Diwali, formada por jovens do projeto, que durante um show na zona norte do Rio tem fãs ardorosas a beira do palco. No final do filme, o público é informado do destino de cada um dos personagens.
Contratempo é bem intencionado. Tem mérito pelo registro do Projeto Villa-Lobinhos e pela divulgação da idéia que a partir do dia 13 de fevereiro estará em cartaz nos cinemas do Rio, São Paulo e Brasília. Vamos ver o que dizem os fãs de Malu da sua nova investida. Lembrando que o maior desafio da atriz/diretora no momento é estar estreando exatamente quando inúmeros filmes indicados ao Oscar são lançados.

fevereiro 12, 2009

UM, DOIS, TRES.... É CARNAVAL!!!!

Amigas, que tal entrarmos no clima carnavalesco?
Mesmo para as adeptas de música clássica, retiro espiritual a procura de desligamento total dos problemas que estão aí mesmo, e ninguem escapa, essa é a verdade, vou me arriscar e fazer uma proposta.

Vamos no um, dois, tres.... sentir a música da alegria, descontração, sexualidde (e como...) , encarnando o espírito brasileiro que todas possuimos (não adianta negar) é samba no pé...

E é o que estou fazendo e podem crer, me sentindo maravilhosamente bem.

Durante o um, dois, tres.... não penso em nada exceto no ritmo da música e no molejo do professor.... já imaginaram? é delicioso, o corpo se movimenta, o suor explode transpirando saúde e "aquele pensamento" nada bom fica para trás.

Até de minha idade eu esqueço, já imaginaram que coisa gostosa?

Olhem o video do meu professor Helinho (ele participou da Dança dos Famosos), ensinando o samba : http://msn.bolsademulher.com/video/oVQ/


Então, amigas, vamos no um, dois, tres?

fevereiro 11, 2009

Make up


11/02/09



Sônia Araripe

Lindinhas de plantão do Inteirativa!
Esta dica é imperdível: um blog inteirinho sobre maquiagem, o beauty blog.
Adriana Goulart Pereira, Andréa Ferreira, Carine Monteiro, Carolina, Daniele Bello, Fernanda Guimarães, Lavínia Nunes e Vanessa Moraes bolaram a novidade.

As mais antenadas podem dizer: mas já existe.
Tudo bem. Pode até já ter alguns.
Mas o Beauty blog tem bossa, é uptodate e as moças são inteligentes até dizer basta e lindas de morrer, vejam as fotos.
Naveguem e vejam se não é interessante! Ah! Tem dicas pros barbados também.

p.s. Querem rir, dificilmente uso maquiagem. (risos)

Pequenas notáveis


11/02/09



Sônia Araripe

Centenário da Carmem Miranda (que bela figura) e eis que recebemos a ótima notícia do Planalto. Calma, calma! Não se apressem e já imaginem Dr. Ministra Dilma estreando um batom rosinha claro como a maquiadora dela particular está sonhando.

Muita hora nesta calma! Do DF nos chega a nova coluna das grandes jornalistas Jesus Ribeiro e Soraya Kabarite. Pequenas notáveis como a portuguesa de nascimento que arrebatou o mundo. Duas sambistas de primeira, gente do Buraco Quente, as cariocas estão escrevendo sobre..... Carnaval, é claro! No Jornal de Brasília.

Reproduzimos aqui a coluna para vocês conherem as pequenas talentosas.

Lenda das Sereias

De volta à elite das escolas de samba do Rio, a Império Serrano acredita na releitura do enredo "A Lenda das Sereias e os Mistérios do Mar", de 1976, para chegar ao título. Campeã do grupo de acesso em 2008, a escola de Madureira, mantém a carnavalesca Marcia Lage no comando da "nau" verde e branca, mas sem a parceria do marido Renato Lage. "O desafio de fazer o Carnaval da escola sozinha é grande", diz a pé-quente Marcia, que já passou pela escola pela primeira vez em 1982, quando a Império levou para a avenida o campeoníssimo Bum Bum Paticumbum Prugurundum. Ela promete desenvolver o enredo com leveza, sensibilidade e inovações, dando mais espaço às mulheres. Por exemplo: as meninas do Jongo da Serrinha irão puxar o samba junto com o intérprete Nego e ala das Guerreiras, fantasiada de marinheiras, integrará um setor formado somente por filhas e noivas de ritmistas. Já a bateria do Mestre Ávila virá de fuzileiro naval e os ritimistas da bateria prestarão continência ao público. A escola da Serrinha abre os desfiles no domingo de Carnaval, a partir das 21 horas.

Cem vezes notável

Por falar em Império Serrano, Carmen Miranda, o amuleto da escola, completaria hoje 100 anos se viva estivesse. Duas vezes enredo, dois campeonatos para a verde-e-branco da Serrinha, que faz homenagem à Pequena Notável com apresentações nos eventos comemorativos que acontecem no museu que leva o nome da atriz, no Rio. Palestras, filmes, shows, retrospectiva da vida da artista a partir da década de 30 estão em pauta. A Rádio Roquette Pinto, onde Carmen Miranda começou sua carreira, dedicará parte da programação à cantora com um programa jornalístico-musical. A série chega ao fim no próximo domingo, com um Grito de Carnaval, comandado pelo Cordão do Bola Preta. No Sambódromo, Carmen também será lembrada, já que será tema da decoração do camarote da Nova Schin.

fevereiro 10, 2009



Alinhamento dia 14 de Fevereiro

Às 7.25 da manhã do dia 14 de Fevreiro, e por 18 minutos do alinhamento, voce está convidado a juntar a sua intenção de amor e paz à intenção do Universo, e co-criar o nascimento da Era de Aquário.

O alinhamento Aquariano 14 de Fevereiro de 2009

Medimos o nosso sentido global de espaço (latitude e longitude) e tempo (tempo universal - UT ou GMT), a partir do meridiano de Greenwich, Inglaterra. Desta forma podemos tomar consciencia da influencia coletiva deste evento astrológico, vendo o alinhamento a partir de uma perspectiva centrada.
Ao amanhecer do dia 14 de Fevereiro de 2009, o dia dedicado a S.Valentine, o santo padroeiro do Amor, a Lua em Libra entra na sétima casa, dos relacionamentos. Jupiter e Marte se alinham em Aquario na decima segunda casa da transformação espiritual. O Universo traz este alinhamento perfeito para dar sustentação à uma manifestação coletiva de amor, paz e ao início da Era de Aquario.
Há quarenta anos a letra intuitiva de uma canção chamada Aquarius, trouxe o início de uma nova era para a consciencia coletiva:

When the Moon is in the seventh house
and Jupiter aligns with Mars.
Then peace will guide the planets
and love will steer the stars
This is the dawning of the age of Aquarius

(Quando a Lua estiver na sétima casa
e Jupiter estiver alinhado com Marte
então a paz conduzirá os planetas
e o amor orienetará as estrelas
este é o início da Era de Aquario)

A carta astrológica do dia 14 de Fevereiro revela uma incrível concentração de influencias cosmicas se mesclando com as energias de Aquario na decima segunda casa. Jupiter e Marte se alinham com o propósito maior do Nodulo Norte. A presença de Kiron (Chiron) o curador ferido, nos oferece a oportunidade de curar diferenças que nos separaram por muito tempo.
Netuno enfatiza os movimentos humanitários e a co-criação da justiça social. E a presença do Sol ilumina todo o alinhamento.
Mercurio, também presente na decima segunda casa, um pouco acima da cuspide de Capricornio, se alia a Plutão para comunicar e ancorar a Mudança nas estruturas e instituições globais.
A Lua em Libra na setima casa, dá enfase para relacionamentos harmoniosos.
Venus em Aries na primeira casa, energiza e dá poder à co-criatividade em ação.
E ainda que Saturno, o grande mestre do aprendizado, esteja em oposição a Urano, o inesperado que nos desperta, o que sugere confronto enquanto os restos de um velho paradigma que não mais se sutenta relutantemente dão passagem à esperança ainda não experimentada do novo, a sua colocação em Virgem e Peixes traz o altruismo prático e a inspiração visionária necessárias para a transição.

Convido cada um de voces a se juntar à intenção de amor e paz, através da energia do seu coração, da forma que for possivel. Voce poderá escolher entrar em alinhamento às 7, 25 do seu tempo local. O que importa é a contribuição da sua energia para energizar a onda de intenção de transformação por toda a Terra.

por Jude Currivan, PhD e publicadas no site de Elsbeth www.elsbethshields.com

Buzina não, por favor!


Vocês já se deram conta como as pessoas buzinam sem nenhuma razão, a todo minuto, por qualquer coisa?

Até parece que buzina faz carro da frente andar...

E quanto mais a pessoa dirige mal, mais ela buzina..risos

Gostaria de lançar uma modesta campanha, pela sanidade dos ouvidos e sustentabilidade da nossa qualidade de som em ambientes expostos aos carros: buzinem menos meu povo!

A poluição sonora é um grande fator de estresse no dia-a-dia e as pessoas nem se dão conta.

Já estão no transito que é uma loucura e pra piorar buzinam freneticamente pra deixar todo mundo em volta na mesma neura.

Vamos ficar mais atentos e deixar a buzina pra lá! Cultivem a arte zen de relaxar em meio ao caos.

fevereiro 06, 2009

Imprensa que eu Gamo

O bloco formado por jornalistas, criado em 1996, sairá amanhã pelo bairro de Laranjeira, a partir das 15h, com a bateria da escola São Clemente. A concentração começa às 13h no Mercado São José, na Rua Gago Coutinho.

Ai vai a letra do samba

No Carnaval do Imprensa, quem dá ordem é o Rei Momo
(Barack Obama, Osama Bin Laden, Elton John, Madonna, Jesus, Cícero do Capela e mendigos da Cinelândia)

O Imprensa vem lançar a utopia
Manchetes para este Carnaval
Que bom se não fosse fantasia
Rei Momo editor do meu jornal

Obama toma um porre com Osama
E seu Fidel saiu chamando o Raul
Nós vamos mandar "paz" pra Bagdá
A Zona Norte abraçou a Zona Sul

Que papo é esse? Cada um no seu quadrado?
No Mercadinho, "tamu junto e misturado"
Que maravilha, pode aplaudir
Ô abre alas, nosso bloco vem aí

A chuva cai, mas não inunda
Nada de crise, cerveja abunda
Até o Lula é meu leitor
Não tem mais choque e meu Rio é só amor

Imprensa que eu Gamo, e como!
Em Laranjeiras quem dá ordem é o Rei Momo
Sarney de novo, mas que mancada
Lá em Brasília tá faltando sapatada

fevereiro 05, 2009

EXPOSIÇÃO "VINTE ANOS SEM CHICO MENDES"


Thati Pereira

Museu do Meio Ambiente - Jardim Botânico

Série de eventos com temática ambiental em homenagem a um dos maiores símbolos mundiais da luta pela preservação e pelo desenvolvimento sustentável da Amazônia

O evento, que ocorre em uma área de aproximadamente 400 m2 do Museu do Meio Ambiente (Jardim Botânico), lembra também a passagem dos 20 anos do assassinato de Chico Mendes, ocorrido em 22 de dezembro de 1988 em Xapuri no Acre. "A causa pelo qual ele lutou e morreu, para preservar a Amazônia, não é uma causa de nenhuma pessoa específica ou país. É uma causa global. Sua mensagem precisa ser continuamente disseminada", lembra Elenira Mendes, filha do seringueiro e curadora do projeto. A realização é uma parceria do Instituto Chico Mendes com a Will Marketing Comunicação.
A intenção do evento é desenvolver atividades que promovam conscientização, mudanças de atitudes e ações práticas que objetivem uma relação mais harmônica com a natureza. A organização segue princípios e orientações compromissados com a sustentabilidade, num projeto aliado com atividades e merchandising ético e ambientalmente corretos. Parte do material utilizado será reciclado.
EXPOSIÇÃO
Com curadoria de Elenira Mendes, filha de Chico Mendes, idealização de Alberto Bardawil e João Uchôa, e, cenografia da artista plástica Ana Durães e da Ciclo Design. A exposição "Vinte anos sem Chico Mendes" conta ludicamente a história do seringueiro.
Em outro espaço está o acervo de fotos, que serão projetadas em painéis. Intervenções de Ana Durães ocupam um terceiro plano, transformando a idéia de que a semente plantada pelo ambientalista precisa da participação das pessoas para crescer, tendo como base a sustentabilidade, a informação e a ecologia. Ambientes da casa do seringueiro em Xapuri (Acre) serão retratados conceitualmente num quarto espaço, com a intenção de receber os visitantes demonstrando a simplicidade da vida dos seringueiros. Neste local haverá ainda a projeção de imagens e áudios possibilitando momentos de reflexão sobre a causa ambiental e a missão do líder seringueiro.
DATAS: 10 de fevereiro a 15 de março de 2009
HORÁRIOS: 10 às 17 horas
ENTRADA: Franca
Obs: O museu não abre as 2ª feiras, no dia 15 de fevereiro e durante o Carnaval

fevereiro 04, 2009

VIK MUNIZ - É DO BRAZIL

VIK MUNIZ - É DO BRAZIL

Por Ana Cecília Vidaurre

Fiquei surpresa com a exposição. Maravilhoso quando isso acontece, você não ter expectativa de uma coisa e ser arrebatado com um soco no estômago. O cara é fera mesmo e tem todos os méritos para isso.
Muitas obras reunidas, um acervo grande.
A criatividade unida a curiosidade, os experimentos de diversos materiais e o recado que quer passar, seja em relação ao respeito ao meio ambiente ou simplesmente querer dizer: "Eu tenho paciência e habilidade para fazer".
Como sou leiga na área fiquei curiosa em saber como são feitas as obras. Nenhum original do artista está lá na exposição, mas as gigantografias foram feitas a partir da obra criada. Será que foram photoshopadas? Tenho medo da resposta... é a pergunta da década...
Além da maravilha e do orgulho de poder constatar que desde 1999 na exposição do Picasso, o MAM nunca esteve tão cheio, quanto mais para uma exposição de um brasileiro...e olha que numa 3a feira às 16h deve ser fogo...pude notar o lado triste de uma tarde que poderia ter sido perfeita.
Gente, o MAM está largado. Para chegar lá já é um pouco difícil, placa pichada, sem sinalização. Para estacionar não há guardadores da prefeitura, há mendigos que ficam tomando banho no lago e vem com o cabelo de espuma para te abordar e receber um trocado na partida.
É triste. A sujeira no entorno, o sentimento de abandono.Isso não pode.
Alô, Dudu Paes!!!!!!! Alô, Jandira!!!!