Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








ENTREVISTA


NOME: Solange de Paula

ESTADO CIVIL: Casada

MISSÃO: AMAR...

Moradora de Duque de Caxias, mãe de 2 filhos, há 20 anos Solange decidiu ampliar a família criando a Associação do Menor Abandonado e Recuperado (AMAR), um abrigo que recebe crianças de 3 a 13 anos órfãs, abandonadas, ou cujos pais não têm condições de criar ou perderam a guarda dos filhos por maus tratos.

Solange é natural pensar que em um abrigo como esse vamos encontrar crianças tristes, doentes, abatidas... Mas isso não é o que se vê, aqui, no AMAR. Como tornar um abrigo de crianças carentes em um lugar feliz?

Fazendo do abrigo um Lar, transmitindo muito carinho e amor para as crianças, levando-os a se sentirem amados como verdadeiros filhos.

Como tudo começou? Que idade você tinha, então?

Tudo começou quando vi um menino dormindo ao relento, com frio, sozinho sem uma família. Isto me comoveu muito, pois ele era ainda tão pequeno e indefeso, entregue a sua própria sorte. Pensei... não posso continuar aqui parada vendo esta cena e culpando o Governo por tal situação. Eu estava com 37 anos de idade, cheia de vigor para ajudar embora meus filhos ainda fossem tão pequenos quanto aquele menino.

Na época você tinha uma boa situação financeira?

Bem, a minha vida seguia normalmente, meu esposo tinha um emprego que nos dava uma condição de vida razoável, para os meus filhos nada faltava, morávamos no Rio de Janeiro no subúrbio de Coelho Neto.

Como seu marido reagiu a sua decisão?

No início foi um pouco difícil, acostumado a ter sua esposa em casa apenas cuidando da família, ficou muito preocupado com o fato de precisar dividir o tempo e a atenção com uma ação tão difícil como esta: AJUDAR AO PRÓXIMO COM AMOR!!!!

Quantas crianças no momento estão abrigadas no Lar?

No momento estão abrigadas no Lar 21 crianças.

Você tem ajuda governamental?

Atualmente não temos nenhuma ajuda do Governo.

As crianças sempre são encaminhas pelo Conselho Tutelar?

Sim, é sempre o Conselho Tutelar que encaminha as crianças órfãs, carentes, e em situação de risco social para o nosso Lar.

O que você achou da nova Lei da Adoção? Agora ficou mais fácil adotar?

Dentro do que observamos a nova Lei não deu melhores condições para a adoção, pelo contrário está ainda mais difícil principalmente quando se trata de irmãos.

O trabalho voluntário é muito importante na engrenagem do seu trabalho? Você tem muitos colaboradores e parceiros?

Sim, o trabalho voluntário é importantíssimo no Lar, porque não temos condições de manter funcionários devidamente remunerados. Os nossos colaboradores e parceiros ainda são poucos, porém com uma enorme vontade de cooperar e muito envolvidos com a causa, por conta disto as inscrições estão abertas para novos amigos e parceiros.

Você considera o Lar AMAR um trabalho ou uma missão?

Com toda certeza, uma MARAVILHOSA MISSÃO, que desenvolvo com muita alegria em meu coração e sinto que isto acaba envolvendo as pessoas que nos cercam, levando-as a fazer tudo com MUITO AMOR!!!

O que te motiva a continuar nessa luta?

São os frutos que colhemos ao cuidarmos destas crianças que, na adolescência, começam a aparecer, como por exemplo, o desempenho na Escola, a educação, o carinho e amor que demonstram não só por nós mais por todos os nossos amigos e colaboradores que nos ajudam. Por isto temos a alegria de destacar o nosso slogan: “LAR BENEFICENTE AMAR : Plantando a semente do amanhã”

====================================================

(O Lar AMAR - Associação do Menor Abandonado e Recuperado - fica em Duque de Caxias, baixada fluminense, RJ. É uma instituição sem fins lucrativos ou filiação política e tem sido mantida através de doações e de colaborações de voluntários nos seus 20 anos de existência).

9 comentários:

Grazi Aronovich disse...

que linda entrevista Monica!que exemplo maravilhoso.

Mariangela Buchala disse...

nossa! q capacidade de se dar e amar. mulher de luz.

Maria Lúcia Poyares disse...

Mônica:
Me senti um grão de areia ao ler a entrevista dessa mulher de aparência tão simples mas com um potencial de amor imenso.
Como posso ajudar?

by Faby disse...

Que trabalho maravilhoso... e que lição de vida!
Parabéns a Solange!

Beijos
Faby

solange disse...

Parabéns, Monica.
Ler sobre todo esse amor, e esse poder de se dar, me fez ver o quanto podemos fazer, o quanto temos pra dar. O pouco pra uns, é um mundo pra outros.

Anita disse...

Sera que o pessoal comovido também prestara um solidariedade em $$$$ ?

plurale disse...

Angel
Tuuuudo de bom!
Fiquei, novamente, emocionada.
bj

Claudia Ebert disse...

Mônica,

você foi lá? Onde fica? Bonita entrevista!

Mônica Angeleas disse...

Claudia, eu sou voluntária desse abrigo. Conheço a Solange uns 3 anos e acompanho de perto a batalha dela. Se tiver interesse em ajudar, seja bemvinda!!
Bjs