Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








fevereiro 17, 2010

Demorou, mas, finalmente, chegou a hora de Paulo Barros


Sônia Araripe

Pode ser que a memória esteja falhando.
Mas há pelos menos três Carnavais o carnavalesco Paulo Barros, de volta para a Unidos da Tijuca, foi roubado.
Roubado mesmo. Na mão grande.

Fez desfiles memoráveis, inesquecíveis.
Aí começou a polêmica: não era Carnaval, não era tradicional, era show de Broadway e por aí em diante.

Alguns pontos realmente a se pensar. Mas ele aprendeu a trabalhar em grupo, tomou lições de bambas e estava aí este ano para arrebentar.
O desfile da Tijuca foi irretocável!

Barros pode ser comparado no Carnaval como um gênio pop para uma ópera sem novidades.
Um artista pós-moderno.
Criativo, dedicado e com uma aura de homem comum que o faz tão charmoso.
Tá certo..alguém dirá que é mascarado. Que não é do ramo só porque era comissário de voo e caiu de paraquedas, quase por acaso no samba. E daí? Melhor assim! Tudo bem. Vai lá! Tudo pode até ter alguma ponta de verdade, mas vamos combinar? A inveja ronda solta há anos a mesmice deste mundo momesco.
Mas contrariou toooooooda esta falta de criatividade, o ex-comissário foi o único a inovar desde os tempos do genial Joãosinho ou de Renato Lage e sua primeira mulher e a barriga cibernética.

O enredo foi presente de um jovem de 12 anos pro Paulo, deixado no Orkut. Quer algo mais genial do que isso?
E o enredo foi dissecado pelo carnavalesco de forma primorosa.
Aquela Comissão de Frente foi es-pe-ta-cuplarrrrrrr!
Nem Broadway, nem Las Vegas. Se inspirou em mágica de lá, do Fantástico, mas foi incrível, um sonho.

E por aí adiante. Os carros, as fantasias, a história.....tuuuuuudo.
Mereceu! Já tinha merecido vários anos antes.

Vai, Paulo Barros, vai que é tua esta taça! Comemora mesmo. Solta este grito preso aí na garganta há tanto tempo. Sem falar na emoção da comunidade do Borel: o outro título da escola, já quase esquecido, foi em 1936! No tempo do Bafo da Onça.
Estamos contigo e não abrimos.
Mangueirenses, portelenses e de todas as escolas. Este Carnaval é teu e ninguém tasca! Que venham muitos outros.





Foto O Globo

4 comentários:

Mônica Angeleas disse...

Soninha, realmente o Paulo Barros
deu um show. Mereceu o título!!!

Anônimo disse...

Paulo Barros o grande vencedor do Carnaval! e palmas também para o garoto criativo que desponta.

Anônimo disse...

Son, tô contigo.
Foi a melhor escola, melhor desfile, melhor inovação, melhor samba, melhor comissão, melhor fantasia e tudo mais.
Tava quase e agora conseguiram.
Palmas tb para o Mestre CasaGrande, feríssimo e há 35 anos na Escola.
bjo

Ana Cecília disse...

Son, tô contigo.
Foi a melhor escola, melhor desfile, melhor inovação, melhor samba, melhor comissão, melhor fantasia e tudo mais.
Tava quase e agora conseguiram.
Palmas tb para o Mestre CasaGrande, feríssimo e há 35 anos na Escola.
bjo