Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








fevereiro 04, 2010

Cidade da Música: de dar Dó


Surpreso com outros 400 dias sem obras na Cidade da Música?


Basta ler o relatório da CPI da Câmara Municipal para perceber que a dificuldade de retomá-las é imensa. Entre outras razões:


1- As empreiteiras pedem mais R$ 230 milhões para concluir a obra, que já consumiu R$ 440 milhões. Só de horas extras e adicionais noturnos, apontam R$ 11,5 milhões. A conta delas é a seguinte: R$ 95 milhões por serviços executados e não medidos; R$ 93 milhões para conclusão do projeto; R$ 48 milhões relativos a custos decorrentes de interrupções na obra, encargos financeiros etc. Total final estimado para a Cidade da Música: R$ 670 milhões. A Prefeitura diz que só paga R$ 50 milhões;

2- Até hoje não se tem certeza do que foi feito e pago, inclusive em termos de equipamentos pagos e não entregues.

3- Até hoje não se sabe quanto realmente custará a obra ao seu término.

4- O arquiteto francês Christian de Portzamparc diz que sem a sua supervisão é impossível terminar a obra. A Prefeitura já avisou que não o contrata de jeito nenhum.


A CPI enumerou 57 conclusões no relatório e fez outras tantas recomendações ao Ministerio Publico Estadual, Tribunal de Contas do Município, Prefeitura e à própria Câmara Municipal. Até agora não recebeu retorno algum sobre a procedência de suas conclusões e/ou se as recomendações foram ou serão acatadas. Se a CPI estiver errada, que seja dito e esclarecido onde estão os equívocos. Caso contrário, que se tomem as providências legais e se dê satisfação à sociedade.

A CPI já sabe que a Prefeitura e os próprios vereadores ignoraram uma das recomendações: não dar ao prefeito a liberdade de remanejar 30% do orçamento, o que impede qualquer planejamento e acompanhamento de ações do Executivo. Infelizmente, para 2010, o prefeito ganhou de novo essa liberalidade - exigência que seu antecessor fez nos oito anos em que governou e que resultou, entre outros, no absurdo desta obra inacabada.

Do jeito que as coisas vão, a Cidade da Música, um crime administrativo do ex-prefeito César Maia, vai acabar espetado na conta de Eduardo Paes.

Quem continua fazendo do mesmo jeito vai colher o mesmo resultado.


Vereadora Andrea Gouvêa Vieira

2 comentários:

Mariangela Buchala disse...

Lamentável...que pena! Ainda bem que as Inteirativas estão antenadas e de olho nas administrações e políticos...vamos em frente. bjs

Anônimo disse...

Um projeto tão importante abandonado... é realmente triste.
Onde estão os políticos? providenciando as fantasias para o carnaval?