Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








outubro 20, 2009

Violência no Rio:algumas reflexões

Gostaria muito de perguntar as autoridades responsáveis pela cidade do Rio de Janeiro e pela segurança de nosso país que andam tão preocupadas com a campanha olímpica, quando é que teremos propostas sociais de verdade pra iniciar um processo de campanha real para reverter o quadro de violência?
Esta postura de confronto contra os bandidos, já se mostrou ineficaz. Pois fica uma luta estilo bang-bang do velho oeste, e quem é sempre vitimizada é a população inocente.
O que mais me deixa perplexa é pensar em porque não se ataca a ponta deste iceberg violento: a entrada e venda de armas no país e no estado.

Ontem, o ex comandante do Bope explicou que 90% das armas que alimentam os morros do Rio de Janeiro e as comunidades vem de uma fabrica em São Paulo!!!!????
Porque então, os governos não coíbem esta venda?
Além do mais, só a cesta básica não resolve nosso imenso problema social nacional: falta emprego, saneamento básico, habitação, escola e saúde pra maioria da população.

Antes de planificar as obras faraônicas pra Rio 2016, é preciso olhar pro umbigo da gente, onde vivem milhões de abandonados sociais e órfãos de governo.
Porque senhores governantes, não iniciamos um processo de mudanças agora? Ainda dá tempo de salvar a cidade e o país...Quem sabe ainda antes da olimpíada a gente já sinta o resultado de novos projetos sociais e políticos em relação a esta questão?

Um comentário:

Mariangela Buchala disse...

É isso aí. Cortar a raiz significa bater em portas mais altas, e isso eles não fazem. Como é q o cara lá do morro tem acesso a uma arma q abate helicóptero? alguém do exército vendeu...sem dúvida. Sanar o problema social acabaria com isso...e eles não querem...lamentável tudo para todos!