Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








agosto 06, 2009

SAUDÁVEL INSOLÊNCIA

Cláudia Alencar

Na rua deserta

Na manhã insone

Reina imponente

Um telão de bruma

Travestido de paulistana garoa

Cegando onipotente

Céu, morro, cristo, lagoa

Ergam as cortinas do teatro divino

Que comece o espetáculo previsto

Mas me apareçam com ensolarado figurino

Morro, céu, lagoa, cristo

Talvez estejam dormindo

– Então deixe-os

Deixe-os simularem a morte

Não tive a mesma sorte

Meu sono decretou greve

Hoje essa triste névoa me traduz

Mas e amanhã?

Serei velho cinza angustiado

Ou talvez, um raro rosa ou azul desleixado?

Cristo, morro, lagoa, céu

Como ser uma só se a natureza é tão desigual

Se o dia me ensina a ser divina no plural

Se a vida todo dia é troca de fantasia

Cristo, lagoa, céu, morro

Tão volúveis na sua permanência

Tão variados na sua mesmice

Tão bruxos na sua ciência

Tão jovens na sua velhice

Me ensinem essa sua saudável insolência

Nenhum comentário: