Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








junho 22, 2009

AUSÊNCIA


Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.
Carlos Drummond de Andrade

Desculpem a minha ausência nas postagens.

4 comentários:

Maria Lúcia Poyares disse...

Senti saudades de você, que voltou arrazando com Carlos Drummond de Andrade. Bjs

Mônica Angeleas disse...

A poesia é linda mas tem ausência que faz uma falta enorme...

Claudia Ebert disse...

Bonito...

Anônimo disse...

Sinto falta também de outros posts de outras pessoas que antes participavam. Onde estão? Voce faz falta também.