Dedicado às mulheres inteiras e ativas de todas as idades, cores e formas. Mulheres que interagem e abraçam a vida como der, puder e vier.
Sempre desejadas!








abril 08, 2009

Crise = Oportunidade


A foto acima é de uma revista vendida por desempregados nas portas de supermercados e cada exemplar custa 1,50 euro. Compro com freqüência. A qualidade do papel e impressão são ruins. Mas as reportagens são sempre sobre temas e pessoas bem variados, tanto anônimos como famosos. Muitos textos são tocantes e de uma poesia que nunca mais me saíram da cabeça.
O título na capa da edição da semana passada era “Crise na Cidade”. Como a economia da Holanda é fortemente atrelada ao comércio com outros países (vide o porto de Rotterdam, o segundo maior em extensão e volume de carga do mundo após Hong Kong) a crise está sendo bem sentida aqui pelos Países Baixos. Volta e meia ouvimos sobre a declaração de falência de alguma marca ou a reorganização de alguma multinacional.
O bicho está, definitivamente, pegando !
Colegas e amigos me perguntam às vezes como anda a situação econômica no Brasil. Respondo sempre que não tenho idéia do peso da crise. Comenta-se também muito na imprensa holandesa sobre os países do BRIC.
Eu gosto de viver na Holanda e sou bem adaptada a vida entre os tamanquinhos. Mas falo sempre português com meus filhos e... da licença que tenho que dar um pulinho no consulado brasileiro de Rotterdam para registra-los como brasileiros. Just in case.

6 comentários:

Mariangela Buchala disse...

Anita, legal essas mídias alternativas com bom conteúdo. A crise tá pegando sim. Em todas as áreas. Desemprego e inadimplência. E os bancos cada dia mais ricos. E a corrupção rolando solta. Só em Goiás outro dia foram demitidos 900 funcionzários de abatedouros - a cidade só vive disso. Em São Paulo no interior, outra cidade atingida com o fechamento de fábricas. Enquanto isso, alguns constroem castelos, outros mansões, e Lulinha compra fazenda em Araçatuba de $45 milhões - é isso mesmo, quarenta e cinco milhões de reais. Tá assim.
Uma pena em um país que poderia hoje ser o exemplo e ajudar o resto do mundo a superar a crise, pelo menos com bons alimentos. Curta aí que nós curtimos aqui. Vamo que vamo!

Paulo Tamburro disse...

MARIANGELA BUCHALA, diferentemente do presidente dos Estados Unidos da America do Norte que disse que o lulinha paz e amor é "o cara", da Rainha-mãe da Inglaterra- já com seus 365 anos bem vividos - que chamou "o cara", para sentar-se pertinho dela, você não sentaria?

Veja bem, "sentaria", pertinho do Lula? Tudo bem explicadinho.

E ia me esquecendo dos 70 e borduada por cento de apoio interno deste "cara".

Mariangela Buchala, você tem saudades de quem?

Itamar Franco,José Sarney, FHC?

Já sei Castelo Branco!(rsrs)

Abra seu coração, deixe que conheçamos melhor suas preferências , brinde-nos com este seu olho social crítico e aguçado.

Você com certeza terá sentidos sobre humanos, assim como os superolhos das águias, o incrível olfato dos ursos ou a capacidade sismográficas das cobras.

Eu disse cobra? Sim, mas as não venenosas. Combinado.Passe lá no meu blog.(rsrs)!

Anita disse...

E' Mariangela... O Brasil sera sempre aquela piada: Deus foi generoso com o subsolo, as matas, a variedade natural, a ausencia (ou quase) de desastres naturais, whyskas sachet... O pais podia tranquilo dominar o mundo. "Muita injustiça com os outros países", reclamaram alguns. E Deus falou: "Perai ! Voces vao ver os politicos que eu vou botar pra governar la !"

Mas eu acho que o Brasil vai ter um grande impacto no mundo sim. O mercado interno e' muito grande. Aqui se fala MUITO sobre os biocombustíveis. Nos jornais holandeses, em colunas sobre carreira e empregos eles incentivam as pessoas a aprenderem português. Ha feiras de imóveis onde promovem a compra de casas e terras no Brasil. Os holandeses estão preparando seus filhos para aprenderem sobre outras culturas ja na preescola. E' mais e mais freqüente crianças por aqui se chamarem Romario, Ronaldinjo (holandesado). Ha projeções de especialistas em tendências de que toda a cultura latino-americana e a brasileira como líder terão uma explosão nos próximos 5 anos. Caipirinha e' algo banal. A culinária brasileira ja esta bombando por aqui. Um dos livros de culinária e arte mais bem vendidos e' o da OFELIA. Tem receita de xinxin de galinha, cajuzinho... Te cuida Nigella !

Claudia Ebert disse...

Me chamou a atenção a revista vendida por desempregados nas portas de supermercados.
Aqui, temos uma publicação semelhante vendida nas portas de alguns cinemas, na porta do CCBB (a Mara está sempre lá)e talvez na porta de alguns teatros. A publicação chama-se "OCA", se não me engano, e é bem interessante. Ela é feita por uma associação de moradores de rua. Tem muito tempo que não compro. Vou comprar e dou notícias.
Mande mais posts dessa revista?
As pautas acompanham as dos grandes jornais?

Anita disse...

Claudia,
Obrigada pelo interesse e fazer um paralelo com OCA. A Z-magazine tem uma tiragem de cerca de 20 mil exemplares. Os desempregados a compram por 0,80euro e a vendem por 1,50 euro. Ela e' vendida quinzenalmente, na primavera e no verao a cada tres semanas. Veja o site www.zmagazine.nl e clique no meio do site no item em parenteses (read this page in English). Ha muitos jornalistas voluntarios e cerca de 60 estagiarios. Se as pautas acompanham as dos grandes jornais ? Sim e nao. Nessa edicao da foto estao:
1) Crise em Asmsterdam: o comercio mundial esta com buracos. Esse mesmo comercio teve uma das suas origens em A'dam. Por isso alguns lugares (Bolsa de valores, Banco do Estado, etc. ) sao testemunhas dessa crise.
2) Entrevista com o enologo e escritor do "Guia de Vinhos de Supermercado" - os melhores vinhos ate 5 euros. O livro e' um enorme sucesso nessa epoca de crise.
3) O desaparecimento de um lituano vendedor da revista Z-magazine. Figura famosa, evaporou no ar. Misterio.
4)Mini-entrevista com dois outros estrangeiros que vendem a revista: um jovem ingles e um holandes homeless de 55 anos.
5) Um ensaio de fotos sobre lugares interessantes em Amsterdam: uma republica de estudantes, um galpao abandonado, roupas no varal, uns becos sordidos.
E tem mais: criptograma ! sudoku! Graffiti ! e cronicas de dois estagiarios novos na revista.

Anônimo disse...

Aniiii !
Parece que a D. Ofelia esta morta mas nao esta enterrada... saudades daqui da Holanda, M.